09/04/2022

Avanço mandibular com alinhadores transparentes no tratamento da Classe II esquelética. Um estudo retrospectivo controlado

Por lbotler

Objetivo: O presente estudo teve como objetivo analisar os efeitos dentoesqueléticos do dispositivo de avanço mandibular (MA) Invisalign no tratamento de más oclusões esqueléticas de Classe II.

Materiais e métodos: Foram traçadas radiografias laterais do crânio pré-tratamento e pós-tratamento de pacientes tratados com MA versus TB (Twin-Block Appliance) no Departamento de Ortodontia da Universidade de L’Aquila, Itália. Os critérios de elegibilidade incluíram SNB<78; ANB>4; nenhum tratamento ortodôntico prévio; e estágio de maturação vertebral (CVM) CS3. Foram excluídas as radiografias de pacientes com anomalias craniofaciais ou submetidos a tratamentos de extração. Ao todo, 20 pacientes foram examinados, sendo 10 tratados com MA e 10 tratados com TB. Todas as radiografias foram traçadas por um operador especialista, cego para os grupos. Um estudo preliminar de erro de método foi realizado para excluir diferenças intra-operador.

Resultados: As características basais dos participantes foram semelhantes entre os grupos. Ambos os aparelhos demonstraram redução do ângulo SNB e ANB e diminuição da sobressaliência. A TB demonstrou maior eficácia no aumento das dimensões mandibulares. Uma retroinclinação significativa do incisivo superior foi observada no grupo TB, onde também foi observada diminuição dos ângulos SNA. As diferenças resultantes entre os dois grupos podem ser atribuídas ao design diferente dos aparelhos.

Conclusões: Os presentes dados mostram a eficácia de ambos TB e MA no tratamento de más oclusões esqueléticas de Classe II devido à radiografias laterais do crânio Mas existem algumas diferenças no efeito dentoalveolar dos dois aparelhos. A MA parece indicada em casos de Classe II onde é necessário um controle da posição dos dentes frontais superiores.