Resultados esqueléticos e dentários de um novo aparelho funcional magnético, o Sydney Magnoglide, na correção da classe II

Apneia obstrutiva do sono: experiências dos pacientes do tratamento do aparelho oral

Avaliação cefalométrica dos efeitos de vias aéreas superiores na morfologia Craniofacial

Apneia obstrutiva do sono:um problema crescente

Apnéia obstrutiva do sono: Um problema crescente

Kevin K. Motamedi, BS, * Andrew C. McClary, ScB, * e Ronald G. Amedee, MD†

 

Apneia obstrutiva do sono (SAOS) é definida como a ocorrência de pelo menos cinco episódios por hora de sono durante a qual respiração temporariamente cessa.

Embora OSA seja uma doença relativamente comum, acredita-se que mais de 85% dos pacientes com OSA clinicamente significativo nunca foram diagnosticado.

Isto se refere ao fato de que muitos pacientes com sintomas de OSA não estão conscientes do seu ronco pesado e paradas respiratórias

As características cardinais da OSA incluem sinais de sono perturbado como ronco e inquietação, interrupções de padrões respiratórios regulares durante o sono, e durante o dia os sintomas tais como fadiga ou dificuldade de concentração que são atribuíveis a romperam padrões de sono à noite.

Estima-se que até um de cinco adultos tem pelo menos com sintomas da apneia obstrutiva do sono, enquanto um de 15 tem sintomas de moderada a grave.

Embora estudos extensivos não fossem realizados que analisam a variabilidade de incidência OSA por raça, suporte de dados, o fato de que a prevalência de OSA é tão alto, se não superior, entre Africano-americanos que entre caucasianos e tende a ser menor entre asiaticos.

Estudos suportam a existência de um risco de OSA nos homens maior  do que nas mulheres

Pacientes idosos entre 65 de 95 anos sãotem tambem um risco aumentado de desenvolver sintomas.

Com o contínuo aumento da expectativa média de vida vista nos países ocidentais, OSA é a certeza de representar um desafio significativo para a saúde nos anos vindouros.

Melhoria do desempenho cognitivo e psicomotor em pacientes com apneia obstrutiva do sono de leve a moderada tratados com dispositivo de avanço mandibular

Etnicidade e apneia obstrutiva do sono

Etnicidade e apneia obstrutiva do sono

Anna Tessa C. Villaneuva, Peter R. Buchanancorrespondenceemail, Brendon J. Yee, Ronald R. Grunstein

Há uma escassez de estudos de prevalência de adultos de OSA fora as populações de raça branca da América do Norte, Europa e Austrália,

Comparações tem sido complicadas por diferenças metodológicas em configurações de estudo do sono, definição de eventos respiratórios, fatores de risco medidos e desfechos clínicos e a falta de parâmetros objetivos para a medição da etnia em si.
Comparando-se estudos com a mesma abordagem metodológica e definição de eventos respiratórios, recentes estudos de prevalência em grande escala de Hong Kong, Coreia e Índia mostram taxas de OSA semelhantes às populações de principalmente caucasianos.

OSA é um distúrbio muito complexo determinado por diversos fenótipos como obesidade, estrutura craniofacial e anormalidades no controle neuromuscular e ventilatório.

Genética pode parcialmente explicar alguns do agrupamento étnico destes fenótipos, modulados por fatores culturais e ambientais.

A contribuição exata destes fenótipos de componente de risco global de OSA será determinada pela sua prevalência variando e conferidos através de grupos étnicos de risco relativo.

Para graus menores de obesidade, os asiáticos estão em risco para um grau mais grave da doença, em comparação com caucasianos.
Estudos Inter étnicos sugerem que a etnia Africana-Americana também pode ser um fator de risco significativo para OSA.

As aumentadas prevalências de OSA entre índios americanos e latino-americanos adultos e gravidade aumentada entre ilhas do Pacífico e Maoris, foram explicadas principalmente pelos parâmetros de aumento da obesidade.

Em grande parte foram realizados estudos cefalométricos mais sem levar em conta específica de etnia.
Comparações dos resultados através de estudos tem sido limitadas principalmente por diferenças nos métodos de amostragem e a seleção de variáveis e definição das variáveis medidas cefalométricas.

O número limitado de estudos com dados comparativos Inter étnicos sugere que variáveis cefalométricas e seu grau de contribuição para OSA variam entre grupos étnicos.

Tratamento da SAOS com aparelho bucal: avaliação de nossa experiência com o uso de um novo dispositivo.

Um calibrador bidimensional e protocolo para instalação de aparelhos orais usados no tratamento de distúrbios respiratórios de sono

ALTERAÇÕES NAS DIMENSÕES DAS VIAS DE ORO-FARINGE APÓS O TRATAMENTO COM APARELHO FUNCIONAL EM CLASSE II ESQUELÉTICA PADRÃO