Gordura de língua e sua relação com a apnéia obstrutiva

10/06/2015 0 Por lbotler

[slideshow_deploy id=’243′]

Kim AM1 Keenan BT1, Jackson N1, Chan EL1, Staley B1, Poptani H2, Torigian DA2, Pack AI3, Schwab RJ3.

OBJETIVOS

O objetivo deste estudo foi determinar se língua adiposa é aumentada em obesos com apneia do sono em comparação com indivíduos obesos sem apneia do sono.
Formulamos a hipótese que o excesso de gordura é depositado na língua em pacientes obesos com apneia do sono.

Metodologia

PACIENTES:

Nós examinamos a língua adiposa  em 31 pacientes controle obesos (índice de apneia-hipopneia, 4,1 ± 2,7 eventos/h) e 90 portadores de apneia  obesos (índice de apneia-hipopneia, 43,2 ± 27,3 eventos/h).
As análises foram repetidas em uma subamostra de 18  pacientes sexo, raça, idade e IMC-correspondido pares de caso-controle.

INTERVENÇÕES:

Todos foram submetidos  a uma ressonância magnética com três pontos Dixon de ressonância magnética.
Usamos na reconstrução volumétrica sofisticados algoritmos para estudar o tamanho e a distribuição dos depósitos de gordura das vias aéreas superiores dos músculos da língua e masseteres dentro apneicos e controles obesos.

 

MEDIÇÕES E RESULTADOS:

Dados suporte a priori: ajuste para idade, IMC, gênero e raça, a língua em apneicos foi significativamente maior (P = 0,001) e teve um aumento da quantidade de gordura (P = 0,002) comparados aos controles
Resultados semelhantes foram vistos em nossa amostra correspondente.
Nossos dados demonstram também que, entre a língua d apneicos e normais existem diferenças regionais na distribuição de gordura, com os maiores depósitos de gordura na base da língua.

 

CONCLUSÕES:

Existe um incremento de volume e deposição de gordura na base da língua em apneicos  comparada coma amostra de controle. O incremento de gordura na língua pode explicar a relação entre obesidade e apneia do sono