Epidemiologia pediátrica apneia obstrutiva do sono

Julie C. Lumeng 1 e Ronald D. Chervin 2

A apneia obstrutiva do sono (OSA) Pediátrica amplamente reconhecida somente nas últimas décadas como uma provável causa de morbidade significativa entre as crianças.
Muitas características clínicas da OSA pediátrica e os determinantes de sua epidemiologia, diferem dos adultos OSA.
Analisamos sistematicamente estudos sobre a epidemiologia das condições consideradas parte de um continuum de respiração desordenada de sono Pediátrica (SDB), variando de ronco primário para OSA.
Destaca-se uma série de desafios metodológicos, incluindo metodologias amplamente variáveis para coleta de dados questionário sobre sintomatologia, definições do ronco habitual, critérios para avançar para o teste de diagnóstico ainda mais e o objetivo critérios diagnósticos para SDB ou OSA.
Face a estas limitações, estima-se prevalências de população são como segue:
relato-paterno “sempre” ronco, 1.5 a 6%;relato-paterno eventos apneicos durante o sono, 0,2 a 4%; SDB por diferentes constelações de sintomas relatados pai no questionário, 4 a 11%; OSA diagnosticada por diferentes critérios em estudos de diagnóstico, 1 a 4%.
No geral prevalência do pai informou ronco por qualquer definição em meta-análise foi 7,45% (intervalo de confiança de 95%, 5.75 – 9.61).
Uma razoável preponderância de evidências sugere agora que SDB é mais comum entre meninos do que meninas e entre as crianças que são mais pesadas do que outros, com dados emergentes para sugerir uma maior prevalência entre os afro-americanos. Existem dados menos convincentes para provar que as diferenças de prevalência com base na idade. Conclui-se pela estrutura de tópicos específicos de investigação futuras necessidades na epidemiologia da SDB pediátrica.

 

 

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *